Início Notícia Voltar

Leite reúne secretariado para avaliar primeiros seis meses de governo

Governador recebeu secretários que o acompanham desde o começo da gestão para uma manhã de trabalho no Palácio Piratini



14/07/2019 22:54 por Suzy Scarton,Vitor Necchi/Secom

CapaNoticia

Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Banner Topo

O governador Eduardo Leite propôs uma manhã de trabalho ao grupo de secretários que o acompanha desde o começo da gestão. Reunidos no salão Alberto Pasqualini, no Palácio Piratini, neste sábado (13/7), secretários, aliados de partidos e dirigentes de vinculadas traçaram um panorama dos resultados obtidos nos primeiros seis meses de governo e dos desafios que serão enfrentados nos próximos três anos e meio. O encontro de trabalho teve duração aproximada de cinco horas.

Primeiro a se manifestar, o governador explicitou a importância de que cada um dos envolvidos na gestão estadual siga o mapa estratégico definido no início do ano, que estabelece quatro eixos: Estado sustentável; governança e gestão; sociedade com qualidade de vida; e desenvolvimento empreendedor. “Essas são nossas prioridades, e é importante que todas as iniciativas das secretarias estejam dentro desse planejamento, em prol do que é tido como agenda prioritária do governo”, explicou. “Além de apresentarmos problemas, é importante apresentarmos soluções. É preciso que todas as pastas tenham esse mapa estratégico em mente.”

Leite destacou as vitórias obtidas na Assembleia Legislativa, agradecendo o apoio dos parlamentares e lembrando que, desde a primeira semana no cargo, tem promovido uma agenda de diálogo. “Conquistamos a alteração do tempo ficto e o fim da licença-prêmio, e aprovamos a PEC [Proposta de Emenda à Constituição] que retira a obrigatoriedade do plebiscito para privatizações, a permissão para a venda de estatais gaúchas e o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) realista, sem reajustes e com previsão de déficit”, relembrou. Com a PEC do Tempo Ficto, a licença não usufruída pelo servidor deixou de contar para antecipação da aposentadoria.

Depois de uma explanação inicial do governador, cada um dos presentes se manifestou. Os primeiros secretários que falaram foram os de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, e de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal.

Leany apresentou um resumo da elaboração do Plano Plurianual, que se encontra em fase de consulta pública até o dia 18 de julho, e explicou que todas as secretarias precisam estar adequadas ao que for traçado como prioritário pelo processo. Em seguida, Gastal detalhou o funcionamento da reunião de trabalho, na qual cada participante teve cinco minutos para se manifestar, a fim de elencar os principais resultados obtidos nesse primeiro semestre e apresentar os desafios esperados para os próximos três anos e meio.

Programas como o RS Seguro, que resultou em uma queda expressiva do número de homicídios e latrocínios no Estado, e o RS Parcerias, que viabilizará a concessão das rodovias ERS-287 e ERS-324, da Estação Rodoviária de Porto Alegre e do Zoológico de Sapucaia do Sul à iniciativa privada, foram lembrados pelos secretários. Metas internas, como a estruturação de secretarias criadas neste ano e a reestruturação de pastas antigas, foram citadas. Os secretários também elencaram conquistas. 

Avaliação positiva

Em coletiva de imprensa concedida após a reunião, o governador Eduardo Leite destacou como positivo o que cada membro do secretariado disse, incluindo também relatos dos dirigentes das vinculadas e dos líderes de partidos aliados. “O Estado tem um problema fiscal grave, mas o alinhamento entre as pastas e o apoio da Assembleia Legislativa na aprovação de projetos importantes fazem com que o Rio Grande do Sul seja lembrado, país afora, pelas soluções que está criando para enfrentar a crise, e não pela crise em si”, reforçou.

Leite explicou que, no próximo semestre, espera a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Ainda neste semestre, o governo deve lançar os primeiros editais de parceria com a iniciativa privada. “Isso nos dá confiança para encaminharmos soluções em outras operações financeiras, que permitirão o cumprimento do compromisso de pagamento em dia do funcionalismo até o final do primeiro ano de mandato”, detalhou.

O governador aproveitou a ocasião para reforçar as medidas tomadas para mitigar problemas com relação à segurança pública, destacando o trabalho das secretarias da Segurança Pública e da Administração Penitenciária. O programa RS Seguro, lançado no início da gestão, obteve resultados expressivos na queda dos indicadores de criminalidade. “Continuaremos com esse processo de articulação a partir do RS Seguro, que envolve investimento, integração e tecnologia para viabilizar redução ainda maior para os próximos períodos”, argumentou.


Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.