Início Notícia Voltar

Identificado os indígenas mortos em confronto armado em Ronda Alta

Os dois corpos encontrados no sábado foram identificados como; Rosenildo Batista popular "neguinho", e Lucas Caetano popular "cafumango".



19/10/2021 09:55 por Rádio Máxima FM 107,5

CapaNoticia

Foto: Reprodução/Rádio Máxima FM 107,5

Banner Topo

Um confronto entre indígenas no final da manhã do último sábado, dia 16, deixou mortos na comunidade indígena da Serrinha em Ronda Alta.

Segundo informações do Cacique, Márcio Claudino, em entrevista à Rádio Máxima, uma emboscada foi armada quando ele trafegava pela ERS-324.

Segundo a autoridade indígena, no final da manhã do sábado o cacique e mais 3 pessoas em uma camioneta Hilux saíram da comunidade do Alto Recreio em direção a cidade de Ronda Alta, quando nas proximidades da entrada para a cidade de Engenho Velho, a camioneta foi atingida por disparos de arma de fogo.

De imediato sabendo da tentativa de assassinato contra o cacique, indígenas da comunidade revoltados, voltaram ao local para encontrar os que haviam disparado contra o veículo do Cacique, quando houve uma troca de tiros. As informações iniciais davam conta de que 4 pessoas haviam sido mortas, porém apenas 2 corpos foram localizados pela polícia.

A Polícia Federal (PF) também rastreia supostos feridos na emboscada, que podem estar abrigados em casas de parentes, hospitalizados ou mesmo mortos, ocultos nos trigais.

Os dois corpos encontrados no sábado foram identificados como; Rosnildo Batista popular "neguinho", e Lucas Caetano popular "cafumango". Ambos eram conhecidos no município e Rosenildo Batista o "neguinho" trabalhava atualmente como gari em Ronda Alta.

Na última quinta-feira, dia 14, Claudino expulsou da reserva oito famílias ligada a seus adversários. Na raiz do problema estaria, além do controle da tribo, os arrendamentos de terra e o dinheiro proveniente deles.

Para evitar novos confrontos, a Brigada Militar enviou efetivos do 38º BPM, armados com fuzis, que permanecem patrulhando toda a área indígena da Serrinha. Eles ganharão apoio da Força Nacional de Segurança Pública, que deve enviar dois pelotões para a região.

 


Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.