Maia homologa acordo de recuperação fiscal do estado do Rio


O presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, homologou nesta terça-feira, (5) o acordo de recuperação fiscal do Rio de Janeiro. O estado fará ajustes de R$ 63 bilhões, até 2020, ao aderir ao plano de recuperação fiscal. No ajuste, estão incluídos aumento de receitas, medidas de redução de despesas, empréstimos e suspensão da dívida do estado com a União.

O governo do Rio fez o pedido de recuperação fiscal ao Ministério da Fazenda no dia 31 de julho deste ano. Após a homologação do acordo, a dívida do Rio com a União ficará suspensa por três anos, prazo que poderá ser prorrogado  por mais três. Nesse período, o estado poderá contrair novos empréstimos. Os detalhes sobre o acordo foram divulgados no início da tarde pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, Rodrigo Maia, que é deputado eleito pelo Rio de Janeiro, emocionou-se ao assinar a homologação. “Esta é uma crise que é visível no Rio de Janeiro, mas, infelizmente, se não tomarmos medidas claras de redução dos gastos dos estados, da União e dos municípios será a primeira de muitas”, afirmou.

Maia lembrou que este é apenas o primeiro passo para a recuperação da crise financeira no Rio. “Não adianta achar que, assinando esse acordo, amanhã está tudo resolvido, que o estado tem condições de voltar a investir rapidamente. Muito pelo contrário, ainda temos um longo espaço para que o Rio volte a ter condições efetivas de investimento e de pagar em dia o salário dos seus servidores.”

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, disse que ninguém quer ser irresponsável do ponto de vista fiscal, mas ressaltou que uma “tempestade perfeita” se abateu sobre o estado. Pezão citou especificamente perdas de receita com petróleo. “Estamos celebrando um momento de dureza. Não é um momento da fartura. São momentos de cortes profundos, de um ajuste profundo que o estado vai fazer nas suas finanças para se equilibrar.”

No discurso, Pezão fez longos agradecimentos a ministros e parlamentares, a Rodrigo Maia e ao presidente Michel Temer pelo empenho na aprovação da lei que trata da recuperação fiscal dos estados e municípios e pela atenção dada à situação do Rio.

Em maio, o presidente Michel Temer sancionou, sem vetos, a lei sobre recuperação fiscal dos estados e municípios. A medida permite a suspensão dos pagamentos à União, desde que atendidas as contrapartidas constantes da proposta. Após esse período, os estados voltam a quitar seus débitos, mas ainda com parcelas reduzidas.

Para aderir ao regime, é necessária a aprovação de leis estaduais impondo restrições aos gastos. Em junho, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou o plano de recuperação do estado.

No último dia 31, a advogada-geral da União, Grace Mendonça, aprovou parecer favorável ao acordo de recuperação fiscal entre a União e o estado do Rio de Janeiro.

Reforma da Previdência


Em discurso, Maia e Pezão defenderam a reforma da Previdência. O presidente em exercício disse que a provação desta reforma ajudará a reorganizar o Estado brasileiro. “Quando olhamos os números dos gastos obrigatórios da União, ou de qualquer estado, vemos que, sem a reforma da Previdência, sem discutir de forma clara os gastos dos governo, em breve, teremos uma situação a nível federal muito parecida com a que o estado do Rio tem”, disse o presidente da República em exercício.

Pezão, por sua vez, afirmou que a reforma da Previdência é uma agenda necessária e que, se não for discutida profundamente, o “país não terá saída”. “Se não aprovarmos aqui no Congresso Nacional, não vai quebrar apenas o estado do Rio de Janeiro, vão quebrar todos os estados, municípios e o governo federal”, enfatizou.

Agência Brasil
Maia homologa acordo de recuperação fiscal do estado do Rio Maia homologa acordo de recuperação fiscal do estado do Rio Reviewed by In Foco RS on terça-feira, setembro 05, 2017 Rating: 5